Entendendo a plataforma .NET

Categoria: Net Core Net Framework

Olá devs! Hoje, gostaria te transmitir alguns conceitos sobre a Plataforma .NET da Microsoft. A ideia aqui é demostrar como ela funciona, sua estrutura e como você pode desenvolver softwares utilizando as ferramentas desta plataforma maravilhosa.


O que é a Plataforma .NET

Neste ponto o conceito é bem simples: a Plataforma .NET (criada em 2002 pela Microsoft) é um conjunto de bibliotecas e classes que podem ser utilizados com várias linguagens de programação suportada. 
Atualmente, a principal linguagem utilizada com a plataforma é o C#. Mas, existem outras também com uso bastante comum: VB.NET e F#, por exemplo. A ideia principal com o uso da Plataforma .NET é disponibilizar uma estrutura base de programação, que seja comum a todas as linguagens suportadas pela plataforma. Com isso, não importa com qual linguagem você irá programar, pois os recursos das classes e bibliotecas estarão disponíveis independente da linguagem utilizada.

Modelo da Plataforma .NET (várias linguagens utilizando o mesmo conjunto de recursos)

Vale comentar que dentro de uma solução utilizando a Plataforma .NET você pode ter recursos desenvolvido em C# e outro desenvolvido em VB, por exemplo. Isso se deve ao fato de que quando os projetos forem compilados, estes serão compilados para uma linguagem comum.

A estrutura de funcionamento da Plataforma .NET

Como explicado acima a estrutura das linguagens no .NET (passarei a chamar a Plataforma .NET de forma resumida no restante do artigo) tem abaixo delas uma linguagem comum. Basicamente, o que quero afirmar com isso é que as linguagens no .NET são interpretadas por uma máquina virtual que é denominada de CLR – Common Language Runtime.
Dentro do universo da programação, atualmente, temos como principais modelos de execução de desenvolvimento:

  • Linguagens compiladas: C, C++
  • Linguagens interpretadas: PHP, JavaScript
  • Linguagens pré-compiladas + máquina virtual: Java, C#

Portanto, as linguagens que rodam sobre o .NET possuem um interpretador o que facilita a implementação de um software em diversos sistemas operacionais diferentes, por exemplo.
Para resumir, abaixo podemos ver o modelo de execução de um código rodando com o .NET:

Modelo de execução de um código rodando na Plataforma .Net

Além da CLR mencionada acima, surgem mais depois componentes importantes que participam da otimização do código compilado:

  • CIL (Common Intermediate Language): código mais baixo nível, que na plataforma .NET é conhecido como bytecode, gerado pelo compilador para ser entregue a máquina virtual para que sua execução seja mais rápida. Até alguns anos através a CIL era conhecido como MSIL (Microsoft Intermediate Language)
  • JIT (compilação just-in-time): o JIT uni as ventagens de códigos interpretados com as vantagens de códigos estáticos (compilados). No momento da compilação para bytecode o compilador já faz algumas otimizações e no momento da execução do programa a máquina virtual que estará interpretando o bytecode poderá fazer uma segunda otimização.

Finalizando

.NET é uma plataforma que possibilita desenvolvedores criar softwares através do uso de recurso como classes e bibliotecas disponíveis.
Existem algumas implementações do .NET que foram sendo desenvolvidas tanto pela Microsoft como pela comunidade. No próximo artigo, irei falar um pouco sobre as implementações do .NET.


Fontes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *