Cloud Computing: o que é e por que usar?5 min de leitura

Categoria: Cloud Computing Engenharia de Softwares

Você sabe o que é Cloud Computing e o motivo de começar a usar? Conhece os modelos de implantação? Sabe quais são os principais provedores cloud, atualmente? Se você respondeu “não” para pelo menos uma dessas perguntas, então este artigo irá te ajudar a esclarecer essas dúvidas.

O que é Cloud Computing?

Computação na nuvem é a disponibilização de serviços de computação sob demanda, através da internet, como exemplo: computadores, armazenamento, rede e outros serviços de TI. Nos serviços cloud nós podemos usar soluções que combinam hardware e software para criar uma infraestrutura de serviços. Atualmente, os três principais provedores de nuvem (por ordem de marketshare, do maior para o menor), são:

  • AWS
  • Azure
  • Google Cloud
Comparing The Top 3: Google, AWS & Azure | Clouve Inc
Os três principais cloud providers

Por que usar Cloud Computing?

No cenário em que você não usa um provedor Cloud Computing você teria que ter um datacenter próprio. O problema é que quando você está criando um novo serviço você ainda não sabe quantos servidores serão necessários e, além disso, você vai precisar de dimensionar um espaço para esses servidores. Além do custo ser alto, você pode eventualmente ficar com capacidade de computação ociosa e isso é um desperdício.

Usando um provedor Cloud Computing você consegue ir crescendo sua infraestrutura de servidores e serviços aos poucos e caso precise fazer qualquer ajuste no tamanho, você não precisa se preocupar com a instalação física de servidores ou até mesmo a venda de servidores ociosos.

Modelos de implantação de serviços cloud

Existe basicamente três modelos de serviços cloud, atualmente:

  • IaaS (Infraestrutura como um serviço): é o modelo mais básico utilizado pelos provedores cloud, em que você tem as máquina virtuais, as redes e outros componentes de infra para utilizar e criar soluções através deles.
  • PaaS (Plataforma como um serviço):  o case mais conhecido sobre esse modelo é o serviço Heroku. Nesse modelo o fornecedor entrega para o cliente um ambiente pronto para receber a aplicação. Além do Heroku, a Umbler é outro serviço que vem ganhando adeptos nesse cenário. Mas, é importante comentar que até mesmo dentro dos grandes provedores cloud existem serviços no modelo PaaS.
  • SaaS (Software como um serviço):  aqui é onde nós temos diversos exemplos, desde de ERP, até mesmo serviços como OneDrive, Google Drive, Office e outros serviços que são sistemas, que funcionam na nuvem.
IaaS, PaaS e SaaS: o que é e quais são as diferenças? - Minuto Nerd
Modelos de implantação de serviços Cloud

Ainda falando sobre modelo de implantação temos o modo como podemos executar/implementar cada uma desses modelos acima, que também são três:

  • On-premise: você mesmo monta seus servidores e com isso não usa uma IaaS para montar sua infraestrutura. Portanto, neste modelo você mesmo administra seu datacenter.
  • Nuvem (Cloud): modelo em que você utiliza uma IaaS para montar sua infraestrutura.
  • Híbrido: modelo em que você monta um infraestrutura combinando os dois modelos citados acima (on-premise mais nuvem).

Quer testar a computação na nuvem? Você pode fazer isso de graça!

Nos três principais provedores cloud você pode, até o momento, criar uma conta gratuita e testar a grande maioria dos serviços sem custo. Porém, cada provedor implementa o modelo de gratuidade de forma um pouco diferente, portanto para verificar como o período Free Tier funciona, acesse a página dos provedores para mais informações:

Tabela de equivalência entre serviços na: AWS, Azure e GCP

Para quem já está acostumado a trabalhar com um provedor cloud, como a AWS, por exemplo, migrar para outro pode ser inicialmente difícil devido à diferença entre nomes de serviços.

Por exemplo: na AWS o nome do serviço de máquina virtuais é o EC2, já na Azure o nome é Virtual Machine.

Abaixo, com base na minha experiência de uso dos três provedores, montei uma tabela de equivalência (nome e serviços consultados em Dezembro/2021):

ServiçoAWSAzureGCP
Máquina virtualEC2Virtual MachineCompute Engine
RedeVPCAzure Virtual NetworkCloud Virtual Network
StorageS3Azure Blob StorageCloud Storage
DNSRoute 53Azure DNSCloud DNS
App HostingBeanstalkAzure Cloud ServicesGoogle App Engine
Identity (Administração de acesso)IAMAzure ADCloud Identity
CDNCloudFrontAzure CDNCloud CDN
API GatewayAPI GatewayAPI Management ServiceAPI Gateway
Load BalancingElastic Load BalancingLoad Balance for AzureCloud Load Balance
ServelessLambdaAzure FunctionsCloud Functions
Serviços de ContainersECSAzure Container ServiceContainer Engine
KubernetesEKSAKSKubernetes applications
MensageriaSQSAzure Service BusPub/Sub
Banco de dados relacionalRDS, Aurora, RedshiftAzure SQL DatabaseCloud SQL
Bando de dados NoSQLDynamoDBAzure CosmosDBCloud Datastore

Logicamente, os serviços listados acima são apenas os principais e mais comuns no uso diário. Dentro da AWS/Azure/GCP, por exemplo, existem dezenas de serviços além dos listados acima.

Conclusão

Já há muito tempo que não vale o risco de investir em servidores próprios e montar datacenters para se construir um novo serviço na web.

Os provedores cloud dão uma flexibilidade enorme de você criar a infraestrutura de um serviço sem ter que comprar hardware físico e quando você precisa se desafazer de uma parte de sua infra, basta você desativar o serviço na nuvem.

Existem muitas outras vantagens, além dessa, mas essa é uma das principais quando se pensa em Cloud Computing (risco zero, na aquisição de hardware).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.